22/09/2019 21:25

Hélio Negão não é para valer. Bolsonaro quer embaralhar as cartas

imagem

RICARDO BRUNO

O deputado federal Hélio Lopes não deve ser o candidato do PSL à Prefeitura do Rio, mas seu nome, de fato, foi lançado hoje pelo presidente Jair Bolsonaro, num movimento para neutralizar as articulações de seu filho Flávio, em favor da candidatura do deputado Rodrigo Amorim (PSL-RJ) Uma fonte com bom trânsito na bancada federal do PSL garantiu ter ouvido a estratégia de um dos homens de confiança do presidente.

Bolsonaro sabe das limitações políticas de Hélio Negão, cuja base é Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Apesar da relação fraterna com o deputado, não crê em seu potencial eleitoral num pleito descasado como a eleição municipal, onde o que vale é mais a capacidade do candidato para resolver os problemas da cidade e menos seu vínculo político. O objetivo do lançamento de Hélio, neste momento, seria apenas embaralhar as cartas e impedir que a candidatura de Rodrigo Amorin, a quem o filho Flávio apóia e trabalha, assuma contornos de fato consumado. O presidente não deve se imiscuir diretamente na eleição mas prometeu, no caso do Rio, sua base eleitoral, examinar o assunto mais à frente.
A mesma fonte adiantou que Hélio Lopes não deve negar nem confirmar a candidatura, deixando o assunto no limbo para favorecer a desejada confusão, intento de Bolsonaro. No Twitter, ele já postou uma frase de conteúdo dúbio - missão dada é missão cumprida - sem referência direta ao lançamento de seu nome. O objetivo é zerar o jogo e recomeçar a discussão no partido.

'