26/08/2019 01:31

TRF decide manter preso ex-governador Pezão

imagem

A Primeira Turma do Tribunal Regional Federal da Segunda Região (TRF-2) decidiu manter preso o ex-governador do Rio Luiz Fernando Pezão (MDB). Os desembargadores também determinaram que siga preso Marcelo Santos Amorim, o Marcelinho, ex-subsecretário de Comunicação Social e sobrinho de Pezão. Ele é apontado como operador do esquema do ex-governador.

A Corte analisou quatro pedidos de habeas corpus nesta tarde. Os empresários e irmãos Craveiro Amorim, Luis Fernando e Cesar Augusto, serão soltos.

Acusados de lavar dinheiro do esquema através de serviços fictícios, eles seguem para prisão domiciliar.

"O paciente foi preso no exercício do mandato. É um político experiente com consciência e capacidade para compreender aquilo que ocorria abaixo dos seus olhos. Por isso, é muito plausível a convicção que traz o MP que Luiz Fernando tinha domínio e controle do que ocorria na gestão, conhecimento de seus inúmeros colaboradores, muitos deles inclusive confessos", disse o procurador do Ministério Público Federal Carlos Aguiar.

O primeiro a votar foi o desembargador Abel Gomes, relator da Lava Jato no tribunal. A leitura durou mais de meia hora. Ele foi seguido pelo presidente Antonio Ivan Athié e pela desembargadora federal Simone Schreiber.

Pezão foi preso no fim do ano passado, em novembro, ainda durante a gestão - pela primeira vez na História do Estado, e a segunda na do País.

'