26/08/2019 02:37

Crivella: "Em decadência, Globo produz fake news"

imagem

O prefeito Marcelo Crivella reagiu à matéria do jornal O GLOBO, segundo a qual ele teria dito que o Rio é uma grande esculhambação, com críticas à atuação da Polícia Militar. Em tom indignado, Crivella classificou como fake news o texto produzido pelo jornal, que, na sua opinião, passa por “escancarada decadência”. O prefeito disse que sua fala aos servidores foi descontextualizada de modo gerar entendimento distorcido de sua opinião a respeito dos problemas enfrentados pela PM.

“O mau exemplo dos políticos contaminava policiais, coronel, tenente, soldado, mas, graças a Deus, uma minoria. Como contaminava procurador geral, conselheiros de contas, engenheiros de obras e até secretários de saúde e diretores de hospitais", afirmou em nota, segundo a qual as críticas foram dirigidas a uma minoria de maus polícias e não pretendeu atingir a corporação de modo geral.

Sobre o VLT, o prefeito afirma que não critica o serviço. Mas a responsabilidade de garantir demanda por parte do Município que é sim uma “porcaria” e consta no contrato assinado entre a gestão passada e o consórcio operador. Isso porque erros nos Estudos de Viabilidade Econômica definiram um público mínimo de usuários da ordem de 260 mil passageiros/mês, mas o público atual não passa dos 80 mil usuários diários. Isso leva a um desequilíbrio econômico anual da ordem de R$ 200 milhões, que pelo contrato assinado deve ser coberto pelo Tesouro Municipal. Como o prazo da concessão é de 25 anos o custo total chega a 5 bilhões a serem sangrados do Tesouro Municipal. Crivella reafirma que esses recursos farão muita falta para cuidar da cidade e nas áreas de saúde e educação;

Leia a nota :

Sobre reportagem de hoje publicada pelo Jornal O Globo, sob o título "Prefeito diz que Rio é uma esculhambação completa", a Prefeitura esclarece:

1) A fala do prefeito está completamente descontextualizada e é muito mais uma FakeNews de um meio de comunicação em escancarada decadência do que uma matéria jornalística séria;
2) Em sua fala a servidores, portanto com dezenas de testemunhas, o Prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, foi claro ao dizer que a corrupção que devastou nosso Estado não se restringiu à Polícia, mas alcançou vários setores e Instuições: "O mau exemplo dos políticos contaminava policiais, coronel, tenente, soldado, mas, graças a Deus, uma minoria. Como contaminava procurador geral, conselheiros de contas, engenheiros de obras e até secretários de saúde e diretores de hospitais".
3) Não houve em um momento sequer ataque a Instituição da Polícia Militar e sim a MINORIA de maus profissionais que macularam a imagem da instituição centenária e que tem em sua história uma extensa lista de bons serviços prestados à sociedade; o Prefeito lembra que quando o ex-Ministro da Justiça generalizou sua critica a Policia Militar do Rio de Janeiro foi ele que se levantou em defesa da instituição em diversas ocasiões inclusive em solenidade na Marinha com a presença do então Presidente da República Michel Temer e o próprio Ministro.
4) Em outro ponto de sua fala, o prefeito Marcelo Crivella destacou o que tem feito nos seus dois anos de gestão: colocar a casa em ordem, após receber a Prefeitura em estado de penúria econômica e de gestão. O foco tem sido o conserto de desmandos de governos anteriores, inclusive contratos danosos à população carioca, como BRT, OSs, Lamsa - Linha Amarela;
5) Sobre o VLT, o prefeito afirma que não critica o serviço de bondes. Mas a responsabilidade de garantir demanda por parte do Município que é sim uma “porcaria” e consta no contrato assinado entre a gestão passada e o consórcio operador. Isso porque erros nos Estudos de Viabilidade Econômica definiram um público mínimo de usuários da ordem de 260 mil passageiros/mês, mas o público atual não passa dos 80 mil usuários diários. Isso leva a um desequilíbrio econômico anual da ordem de R$ 200 milhões, que pelo contrato assinado deve ser coberto pelo Tesouro Municipal. Como o prazo da concessão é de 25 anos o custo total chega a 5 bilhões a serem sangrados do Tesouro Municipal. Crivella reafirma que esses recursos farão muita falta para cuidar da cidade e nas áreas de saúde e educação;
6) Finalmente é importante destacar que as agendas do prefeito são públicas e o encontro mencionado por O Globo foi divulgado em sua agenda oficial, disponível no Portal da Prefeitura, acessível a toda população, diferentemente do que o decadente jornal afirma na mesma reportagem.

'