04/07/2020 07:50

Em entrevista ao Jogo do Poder deste domingo, o autor do pedido de impeachment do governador Wilson Witzel, deputado Luiz Paulo Corrêa da Rocha, revelou as razões pelas quais o processo não sofrerá interrupção, a despeito da decisão do STJ de não compartilhar provas com a Alerj. Didaticamente, apontou os atos do governador que configuram crime de responsabilidade. E acrescentou : "Não temos mais governo, o estado está ao léu, sem rumo, por causa de atos de corrupção. É imperdoável. Este é um governo totalmente fracassado. Não há uma voz que o defenda. Acabou".

Opinião - Ricardo Bruno

Ricarod Bruno

O Rio não pode ser usado como massa de manobra de burocratas a serviço de Bolsonaro

O governador Wilson Witzel é um estranho no ninho político, até seus gestos, exageradamente empolados e formais, são inadequados ao meio. No mudo real, perdeu o controle da administração para alguns amigos sobre os quais pesam graves suspeições; não conseguiu imprimir ritmo administrativo tampouco teve capacidade para definir projetos e prioridades. Falta bússola, falta rumo. Tanto é verdade que Wilson Witzel está em vias de perder o mandato por conta de um impeachment em andamento na Alerj.

Ricardo Bruno entrevista
 

Após contestar convocação, defesa Flávio Bolsonaro pede nova data para depoimento

O senador Flávio Bolsonaro quer o direito de marcar uma nova data para o interrogatório. Sua defesa contesta também a permanência no caso do grupo especial de promotores que faziam a investigação em primeira instância.

O que fez Flávio Bolsonaro no verão de 2018 ?

O empresário Paulo Marinho mandou um recado ao senador Flávio Bolsonaro, através do twitter. Em resposta a outra postagem do 01, que o chamou de tiazinha do pulôver, Marinho pediu recato ao senador, dando a entender ter algo a revelar: “melhor não pagar de “gostosão” com os investigadores do @MPF_PGR pq eu e vc sabemos o que vc fez no verão de 2018”.

Foragida, esposa de Queiroz deve receber o auxílio emergencial do governo Bolsonaro

Foragida da Justiça, a esposa de Fabrício Queiroz, Márcia Aguiar, deverá receber a segunda parcela do auxílio emergencial nesta sexta-feira (3), informa o Congresso em Foco. Ela é procurada pela Justiça desde o dia 18 de junho, quando o ex-assessor de Flávio Bolsonaro foi preso. Márcia é uma das 63 milhões de pessoas que receberam o auxílio emergencial de R$ 600 mensais criado para ajudar famílias de baixa renda durante a pandemia de covid-19.

TJ atende à Rede Globo e impõe multa ao Flamengo

Mais um round da luta entre a Rede Globo e Flamengo. O desembargador Ricardo Couto de Castro, da 7ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, atendeu a pedido feito pela Globo e impôs multa de 2 milhões de reais ao Flamengo por exibição ou reexibição de jogos da competição que não tivessem o aval da rede de televisão — que adquiriu os direitos de exibição do Campeonato Carioca.

Depoimento de Witzel e da primeira-dama é adiado

A defesa da primeira-dama do Rio, Helena Witzel, pediu para adiar o depoimento marcado para ocorrer nesta sexta-feira (3) na Polícia Federal. Segundo o advogado José Carlos Tortima, o motivo foi o falecimento da avó da primeira-dama. A nova data para o procedimento ainda não definida, mas a expectativa é a de que seja remarcado para a próxima semana.

Aeroporto de Maricá se prepara para se transformar na principal base das plataformas do pré-sal

Com as inovações tecnológicas adotadas pelo prefeitura, o aeroporto de Maricá caminha para se tornar a principal base de apoio às plataformas do pré-sal. Ontem, o prefeito Fabiano Horta inaugurou o balizamento noturno da pista, o que permitirá a ampliação das operações do terminal, com pousos e decolagens durante as 24 horas do dia.

Rodrigo Neves comemora o triplo A da Stardard & Poors

A Standard & Poors Global, a mais renomada agência de riscos dos Estados Unidos, concedeu ontem novamente o triplo A, o mais alto grau de confiança, à Prefeitura de Niterói. Segundo o relatório, “Niterói reservou prudentemente os royalties de petróleo nos últimos anos, especialmente através de seu Fundo de Equalização da Receita, o que lhe permitiu lidar com os atuais choques externos”.